quarta-feira, 17 de novembro de 2010

A importância da vontade e da decisão


Para imprimir e pintar

Tenho observado, com certa tristeza e preocupação, tanto os prejuízos causados na vida dos seres que não aprenderam a cultivar a força de vontade e a decisão, ou muito menos conseguiram estabelecer metas que exigem tais virtudes para que possam ser concretizadas. Entre elas a necessidade de se livrar dos vicios que os matam.

Quem assim está (de) formado só faz o indispensável. Não possui capacidade de iniciativa e empreendimento. Contenta-se com as coisas fáceis. Adia sempre seus compromissos e parece cumprir a todos eles somente por obrigação ou necessidade e desconhecem a alegria de realizar algo movido por estímulos internos.

Falta-lhes a Vontade, essa força que arregimenta as energias humanas e a inteligência para a realização dos propósitos estabelecidos e que sem a mesma em dose suficiente, torna os indivíduos fracos e sem recursos para enfrentar as vicissitudes da vida.

Assim chegam a certa idade sem saber o que querem. Não descobrem sua vocação. Não sabem por que estudam ou trabalham e, quando o fazem, isso representa mais um peso do que uma realização. Perdem o sentido da vida. Assusto-me quando mães reclamam de filhos adultos ou ainda no final da adolescência e que só se interessam pelo computador, ou quando esposas reclamam de maridos que querem saber apenas do videogame (dos filhos)!

Como combater esse estado de coisas?

Penso que, cultivando desde a infância a força da vontade e da decisão pelo exercício de enfrentar dificuldades e obrigações.

 Não há que se superproteger os filhos, retirando-lhes todas as pedras do caminho com base no pensamento de que “eu não quero que meus filhos passem o que eu passei”.

Há sim que haver progressos materiais e tecnológicos de uma geração para a outra, mas não sem mostrar que os bens dos quais se desfruta não caem do céu, sejam eles de valor material ou imaterial.

Uma vontade fortalecida carrega pela mão a decisão que fortalece o temperamento, sustenta o ânimo nos momentos difíceis, ensina a não postergar responsabilidades e a não deixar para amanhã o que pode ser feito hoje, levando a uma sobra de tempo para amanhã fazer outras coisas.

Pensando no fim de ano que já se vislumbra, responda: Seu poder de decisão tem lhe permitido cumprir aquilo que sua vontade determinou como meta para 2010?

6 comentários:

  1. Sabe amiga, sempre programo pouco, para que esteja sempre ao meu alcance, e graças a Deus tenho conseguido alcançar meus objetivos.
    Abraços forte

    ResponderExcluir
  2. Ola !!!
    Muito interessante teu blog, ja estou como seu seguidor... gostaria de contar também com a sua força para divulgação do meu blog ! Tenho o mesmo objetivo que vc,

    Grande Abraço e que Deus a abençoe em nome de JESUS !!!!
    abçs MARIVAN

    ResponderExcluir
  3. Oi, amiga. Parabéns pelo conteudo a dedicar neste blog.

    Vou indica-lo tbem para meus filhos e amigos.

    Sucesso!!

    ResponderExcluir
  4. Olá querida amiga!
    Maravilhoso seu post!
    Eu ensino as minhas filhas a correrem atraás do que elas querem,a minha segunda filha de 14 anos,decide onde e como eu fico observando para vê se ela esta indo pelo caminho correto para eu poder orientar! Na vida se começa ainda criança ensinando e incentivando a eles terem vontade e poder de decisão,mas sempre mostrando que tudo tem consequências! muitos pais tiram esse direito que os filhos tem e decidem tudo,cresce um adulto inseguro, Sempre falo para as minhas filhas,faça sempre o melhor para que você tenha o melhor.E graças a Deus elas são ótimas filhas!
    Amei seu post!
    Parabéns!
    Bjos querida!

    ResponderExcluir
  5. Òtimo blog, bela proposta. Temos que cuidar dessas pessoas. Parabéns pela iniciativa.

    ResponderExcluir
  6. Olá Xênia,
    Voce tem razão, realmente temos que sempre repensar se estamos alcançando as metas que traçamos por determinado período para que não venhamos a vegetar, ao invés de viver a realidade dos nossos sonhos.
    Abraços.
    Sonia Costa

    ResponderExcluir